23 April 2017

Boas-Vindas aos Refugiados Venezuelanos

Denis Minev - publicado no jornal A Crítica no dia 21 de abril de 2017

A Venezuela vive momento triste de sua história.  O jornal A Crítica tem continuamente noticiado a presença de pobres, em geral indígenas venezuelanos, nas ruas de Manaus.  A escassez de todo tipo de produto, especialmente alimentício e farmacológico, tem forçado nossos vizinhos a graus cada vez mais dramáticos de violência e desespero.  No último ano, mais de 150 mil venezuelanos deixaram seu país.  

O acesso a alimentos, remédios e empregos secou em meio a um colapso econômico.  Imigrantes venezuelanos buscam refúgio por todos os lados do país; o Caribe hoje conta com um volume constante de embarcações precárias tentando aportar nas ilhas caribenhas mais prósperas.  Essa é uma cena que lembra haitianos ou africanos, não venezuelanos ricos em petróleo.  No Brasil, Roraima tem recebido contingentes cada vez maiores de imigrantes em busca de qualquer tipo de emprego, comida e atenção médica.  

Neste contexto, o Brasil tem uma escolha a fazer.  Podemos, como muitos fazem, fortalecer nossa fronteira com mais militares e polícia federal.  Inspirados por um ser alaranjado, poderíamos até mesmo construir um muro.  Num momento de crise acentuada como a que vivemos hoje, seria fácil deixar de lado “problemas dos outros” quando temos tantos nossos próprios.  

Entretanto, essa não seria a escolha moral certa.  O Brasil é ainda um país de imigrantes.  Se você procurar nas suas raízes, ainda há de encontrar imigrantes que, indesejados ou perseguidos onde viviam, aqui encontraram refúgio e uma nação acolhedora.  A despeito de termos nos fechado a imigração em massa desde os anos 50, a nação retém o espírito imigrante.  Também somos em geral inspirados pela moralidade legada nos testamentos divinos; a grande maioria de nossa população tem na fé judeo-cristã sua base.  É indiscutível que essa moralidade comanda recebermos nossos vizinhos no seu momento de dor e tristeza.

Adicionando um aspecto pragmático, Amazonas e Venezuela hoje pouco se conectam, afora das ocasionais visitas de férias a Margarita.  Com Venezuelanos aqui, vislumbra-se por exemplo maior comércio entre as nações, que certamente é uma importante fonte de enriquecimento mútuo.  Novas oportunidades de empreendedorismo surgiriam, possivelmente ligando o PIM à Venezuela.  
Tente vislumbrar como seria nossa sociedade se não tivéssemos acolhido os japoneses há um século.  Ou os sírio-libaneses.  Ou os judeus.  Ou mesmo a grande imigração de portugueses.  Ou a recente imigração de haitianos, na sua maioria trabalhadores honrados e contribuintes à diversidade cultural e linguística de nossa sociedade.  No futuro, olharemos para o legado dos venezuelanos que aqui chegam da mesma forma, com orgulho.

Já há esforços nesta direção.  Tanto estado quanto prefeitura trabalham nesta direção, mas ainda de forma bastante limitada.  Gostaria de conclamar você, meu concidadão, a apoiar estas iniciativas.  Avise seu deputado, seu vereador, que você os apoia.  Não são grandes investimentos e certamente enriqueceremos como sociedade por isso.  


Reação: