24 September 2009

Crie seu vídeo com celebridades em prol de florestas tropicais

Junte-se a celebridades como Harrison Ford, Pelé, Príncipe Charles, Joss Stone, etc. e crie seu próprio vídeo no site abaixo para ajudar a divulgar a proteção de florestas tropicais como prioridade mundial.


Boas gravações!
Reação:

22 September 2009

Aniversário da Crise Global

Durante esta semana completou-se 1 ano do início formal da crise.  Em 15 de setembro de 2008, o banco norte-americano Lehman Brothers declarou falência, o estopim que congelou os mercados internacionais de crédito, desencadeando a pior crise econômica global desde a grande depressão de 1930.  Desde então quase todas as grandes economias mundiais entraram em recessão técnica, que é caracterizada por dois trimestres seguidos de crescimento negativo.  No Brasil, felizmente, foram apenas 2 (4o de 2008 e 1o de 2009), enquanto que nos EUA já se vão seis trimestres consecutivos.  
Brasil - Estas últimas semanas, no cenário econômico brasileiro, têm sido marcadas pelo anúncio de bons resultados, a exemplo do crescimento de 1,9% no 2o trimestre de 2009, o que formalmente marcaria o fim de recessão.  É importante lembrar a significativa reação brasileira à crise, que incluiu a manutenção de investimentos projetados (como PAC), algumas desonerações tributárias (principalmente IPI de veículos e, no nosso caso, COFINS de motos), redução de juros de 5% (de 13,75% para 8,75%) e facilitação de crédito (redução de compulsórios, extensão de garantias a bancos menores, etc.).  
Amazonas - E o Amazonas?  Como anda o desemprego?  Produção?  Renda?  Dentre todos os indicadores, o que gera maior ansiedade é sempre o emprego.  Em julho 2009 tivemos o primeiro mês de real recuperação do emprego, com geração líquida de 2,8 mil novos empregos, dos quais quase 600 foram na indústria e 500 na construção civil; no período pré-crise, vínhamos em um ritmo de 2 a 4 mil novo empregos por mês.  Agosto, apesar de ainda não termos as estatísticas finalizadas, também demonstra ter sido positivo.  A produção industrial já desde junho mostra indicadores semelhantes a 2007 mas ainda inferiores a 2008; temos um cenário no qual a indústria se estabiliza e outros segmentos econômicos compensam com crescimento.  Destaca-se por exemplo o turismo, com volume de mais de 20 mil turistas estrangeiros em junho, versus 11 mil no mesmo mês de 2008.    Além disso, com maior presença de órgãos federais no interior (principalmente o INSS), aumenta-se o número de benefícios concedidos no estado (3,9 mil em julho 2009, comparado com 3,3 mil em julho 2008).  O volume de crédito na praça de Manaus, pela primeira vez desde o início da crise, teve crescimento; amazonenses têm R$2,28 bilhões de crédito em julho, comparado com R$2,23 bilhões em junho.  Comparativamente, o interior não teve seu crescimento interrompido pela crise, com volume (ainda pequeno) de R$241 milhões em julho 2009, comparado com R$168 milhões no mesmo mês do ano passado.  Estes e outros dados estão disponíveis no site: www.seplan.am.gov.br, dentro de Indicadores Amazonas.  

Como avisa o Presidente do Banco Central Henrique Meirelles, é prematuro declarar o término da crise quando ainda temos grandes economias globais como EUA, Japão, Espanha e Itália em retração contínua.  Há, entretanto, motivo para otimismo comedido; os indicadores estaduais começam a indicar um futuro auspicioso (como diria o Raj, outro prematuramente declarado falecido).  

Reação:

09 September 2009

Atualização Copa 2014

1. Conheça o caderno de pré-qualificação para a construção da Arena de Manaus para a Copa 2014.


2. No dia 10 às 15hrs na SEPLAN teremos também uma apresentação da Deloitte Consulting sobre o andamento de todas as frentes de trabalho da Copa em Manaus. Evento aberto ao público.
Reação:

08 September 2009

Licenças obtidas para fibra ótica até Manaus

No dia 4 de setembro finalmente foram obtidas todas as licenças para implantação da segunda conexão de fibra ótica ligando Manaus ao mundo (via Venezuela e Caribe). A Oi iniciará as obra ainda em setembro e tem a expectativa de entrar em operação no 1o semestre de 2010.

Foram obtidas licenças do DNIT, IBAMA, FUNAI e todas as Prefeituras ao longo do trajeto.

Apenas para conhecimento, dentre os 26 requisitos avaliados pela FIFA na escolha de 12 das 17 cidades-candidatas para a Copa 2014, o único requisito no qual Manaus figurava em 17o lugar era tecnologia de informação. Livremo-nos deste bode...
Reação:

06 September 2009

Monotrilho em Manaus

Mensalmente o Governo do Estado acompanha uma gama de cerca de 2 mil indicadores que relatam os mais diversos aspectos da economia, sociedade e meio ambiente do Estado.  Um sumário destes dados está disponível no www.seplan.am.gov.br.  Dentre estes todos, um indicador surpreende pela regularidade na ascensão -- a frota de veículos amazonenses.  Em julho batemos os 498 mil veículos (dos quais mais de 80% estão em Manaus) e certamente em agosto atingiremos meio milhão.  No pior da crise, em Janeiro de 2009, tivemos "apenas" 2,8 mil veículos emplacados; em julho passamos de 4,7 mil.  






Reconheçamos por alguns instantes a grandiosa revolução em curso.  Em Manaus, isto representa quase um veículo para cada 4 habitantes.  A abundância de crédito que encobriu o país, combinada com o indiscutível crescimento diferenciado que o Amazonas demonstrou nesta década culminam no presente dilema.  Devemos nos emocionar cada vez que novo amazonense adquire os meios econômicos para dispor de seu próprio carro; é uma situação quase tão singular quanto a aquisição da casa própria, outra revolução em curso em nossos dias. Entretanto, foi-se o tempo de chegar em qualquer lugar em 10 minutos e de almoçar todo dia em casa.  Mas também foi-se o tempo de olhar para São Paulo ou Miami com inveja da pujança econômica representada pela frota veicular.  Chegamos lá.  






Com estes dados, é mais fácil compreender o trânsito cada vez mais caótico de Manaus.  Há uma série de iniciativas públicas, dentre as quais enumero as vias do PROSAMIM, Avenida das Torres e Viadutos da Ephygenio Salles, que certamente contribuirão para a redução do tempo desperdiçado no trânsito e do consequente estresse municipal.  Entretanto, a este ritmo, é apenas uma questão de tempo para que os sempre mais de 3 mil emplacamentos mensais engargalem estas novas vias.  






Foi neste espírito que se iniciou em 2008, no âmbito do planejamento para a candidatura de Manaus à Copa de 2014, a série de estudos que levam o Governo do Estado à sugestão de implantação de um sistema rápido de transporte público em monotrilho, conforme apresentado em audiência pública recentemente.  Esta é uma das três grandes obras e/ou melhorias apresentadas à FIFA (além do estádio e aeroporto) para a seleção de Manaus.  O trajeto proposto liga a Cidade Nova ao Centro, passando na frente do estádio, com seis estações propostas ao longo do caminho; a motivação desta escolha para o trajeto inicial é o altíssimo fluxo de transportes públicos no eixo norte-sul, por onde trafegam cerca de 60% dos ônibus da cidade, com picos de mais de 15 mil passageiros/hora entre 6hrs e 8hrs da manhã.  






Dentre as várias soluções consideradas, julgamos o monotrilho como o de melhor aderência às necessidades da cidade.  O sistema proposto terá capacidade inicial em 2014 de 18,5 mil passageiros/hora, mais de 20% acima do fluxo médio atual, com possibilidade de expansão modular (adicionando mais carros sem obras estruturais) até 37 mil passageiros/hora.  Ou seja, se Manaus continuar crescendo a uma taxa de 1,8% ao ano (a atual), temos uma infra-estrutura com capacidade para cerca de 40 anos.  Dentro deste contexto de planejamento de longo prazo, podemos também considerar a expansão destas linhas pós-2014, seguindo por Cachoeirinha, Bola da Suframa e Grande Circular, um projeto para futuros governadores e prefeitos.  O custo estimado do trecho proposto para implantação até 2014 é de R$1 bilhão, dos quais dois terços devem ser em recursos públicos.  






Na gama de benefícios esperados, lista-se a economia de tempo, que hoje dura mais de 1hr nos horários de pico (terminais Cidade Nova - Centro direto) para 26 minutos de trajeto total, totalizando por dia mais de 47 mil horas economizadas.  Em termos de poluição (emissões de carbono), economiza-se o equivalente a 1.000 árvores médias por dia com menos ônibus trafegando.  






Há uma série de riscos a serem considerados.  Muitos projetos desta magnitude ao redor do mundo param por problemas de financiamento por exemplo.  Dentro deste contexto, é importante explicitar a situação financeira do Amazonas; temos um baixíssimo nível de endividamento (cerca de um quarto do teto estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal, que permitiria até R$12 bilhões de dívidas ao Amazonas) e temos um orçamento saudável com margem de investimento de mais de 10% mesmo em um ano de gravíssima crise mundial.  Há também considerações a respeito da integração com a malha existente de ônibus, que precisará ser parcialmente readequada para alimentar o novo sistema; esta readequação requer grande volume de cooperação que certamente é do interesse de todos.  Por último, a tarifa é sempre um tema central; utilizando-se como parâmetro cidades como Rio de Janeiro e São Paulo, chega-se à conclusão que o sistema proposto pode ser mais econômico devido às melhores tecnologias disponíveis hoje.  






É certo que este é um tema polêmico, que afetará a vida de todos os manauaras daqui para frente.  Críticas e sugestões são sempre bem-vindas.  





A apresentação completa da audiência pública se encontra no site manauscopa2014.com
Reação: