13 June 2009

Copa 2014 em Manaus. Passa a festa, e...

Copa 2014. Passa a festa, entra a segunda-feira

A Fifa confirmou, há duas semanas, a indicação de Manaus como sede na Amazônia da Copa de 2014. Depois de um domingo de comemorações, chegou a segunda-feira e a realidade da imensidão do projeto. No dia 8 de junho tivemos o primeiro evento, na CBF, no qual cada cidade teve suas atividades e cronogramas avaliados.  Itens principais de interesse da FIFA e CBF neste momento são energia, telecomunicações, mobilidade urbana e transportes, além do planejamento do estádio.  


Na frente de energia, Manaus tem notórios problemas que devem ser resolvidos com a entrada em operação do gasoduto (2010) e com a construção do Linhão de Tucuruí (2012).  Nas telecomunicações, a Oi traz nova fibra ótica a Manaus em 2010 (vindo da Venezuela), além de interligações adicionais da Vivo (via Santarém) e a possibilidade de uma fibra ótica nova passando pelo Linhão de Tucuruí.  Na mobilidade urbana, apresentamos dois projetos em conjunto com a Prefeitura, de melhoria do sistema atual (ônibus) e de implantação de novo sistema (elevado ou no solo) de metrô.  Nos transportes, focamos principalmente no aeroporto, que hoje atende mais de 2 milhões passageiros / ano e que deverá ser expandido, com pista adicional, mais pontos de embarque e mais espaço para atender mais de 4 milhões de passageiros / ano, capacidade estimada necessária para atender bem aos turistas durante a Copa.  Em suma, Manaus aponta soluções para todas as grandes preocupações da FIFA; resta-nos executá-las bem.  


Por último, o estádio.  Buscamos junto aos arquitetos desenhar o mais belo estádio da Copa, com espírito amazônico.  Na busca de amortizar custos, estuda-se a possibilidade de criação de um grande centro comercial e de entretenimento, aproveitando o fluxo já existente na Constantino Nery adicionado da possível principal estação do metrô, com a disponibilidade grande de áreas para desenvolvimento imobiliário no próprio complexo.  Já tivemos um grande número de questionamentos a respeito de desapropriações; para a construção do estádio e centro comercial (que é de urgente evolução), nossos estudos até o momento indicam que não há necessidade de desapropriação.  Outros desenvolvimentos imobiliários que venham a acontecer no futuro podem demandar desapropriações.


Quatorze dias após o anúncio de Manaus na Copa 2014, segue uma breve prestação de contas do que se passa em nossa organização:


1. Inicia-se a construção do centro de convenções que será anexo ao estádio, onde hoje se localiza o estacionamento do estádio.  Esta licitação já havia sido feita há alguns meses, dotada em parte de recursos federais.

2. Conclui-se a negociação da contratação da Deloitte, firma de consultoria que nos auxiliará no planejamento e acompanhamento das 26 frentes de trabalho. Em especial, focarão em tornar o empreendimento imobiliário como um todo o mais atraente possível para a iniciativa privada.

3. Assina-se no Confaz (Conselho de Secretários de Fazenda nacional) convênio de não-tributação da Fifa (exigência da FIFA).

4. Readequa-se projeto do centro esportivo da Zona Norte e da Colina para servir de centro de treinamento durante a Copa.

5. Reafirma-se na reunião realizada no dia 8, na Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o compromisso do Governo do Amazonas de promover os investimentos necessários para a realização do evento.

6. Discute-se com a Casa Civil qual a entidade que deve ser criada para cuidar do projeto Copa e como ele deve ser constituído para garantir máxima transparência e boas práticas de gestão.  Estudamos a formação de conselho de notáveis para supervisionar a execução de obras, o andamento do planejamento e gastos como um todo.  


São as primeiras atividades de centenas ou milhares até 2014. A jornada pode parecer longa, mas há apenas 258 segunda-feiras até o primeiro jogo da Copa.


Reação:

1 comment:

  1. Só vamos torcer pra que realmente a mudança de meio de transporte coletivo se dê de fato pois as últimas notícias dizendo da preferência de um secretário, acho que é Gorayeb o nome dele, pela retomada de um sistema "expresso" de ônibus é simplesmente ridícula. Porquê continuar com algo que comprovadamente só piorou o trânsito e a mobilidade urbana de Manaus ? Ninguém é trouxa, se vamos tentar mudar pra melhor deixemos de mediocridade. NÃO AO EXPRESSO OU QUALQUER OUTRA DESIGUINAÇÃO NOVA, ÔNIBUS ENTUPINDO NOSSAS RUAS DE POLUIÇÃO E ENGARRAFAMENTO NÃO É SOLUÇÃO !

    ReplyDelete