14 February 2009

Aprenda inglês para receber o Beckham

Vai-se já uma semana da visita da FIFA a Manaus, período durante o qual tivemos uma chuva de celebrações e otimismo.  Entramos o século XXI de pé direito; no período de dois meses temos, além da FIFA, a visita do Principe Charles, do vice-presidente da China (e provável próximo presidente) e dois shows internacionais de grande magnitude (Alanis e Iron Maiden).  Nos encontramos ao cabo de seis anos de grande crescimento econômico (mais de 9% ao ano em média) que foram complementados por seis anos de desmatamento reduzido (a menos de 500km2 em 2008, ou 0,03% de nosso território). Novos shoppings, novos prédios, novos voos internacionais, novas empresas sugiram no horizonte amazonense neste período.  Muitos saíram da pobreza, tiveram a carteira assinada pela primeira vez, entraram na economia formal, mudaram-se de igarapés, aprenderam a ler.

Por outro lado, ainda temos a internet mais cara do país e mais de vinte municípios do interior não têm cobertura de celular, para citar apenas dois ítens essenciais de uma economia do futuro.  Questões de infra-estrutura, felizmente, se corrijem em relativo curto espaço de tempo.  A licitação de 3G obrigou as empresas de telefonia de alcançar as áreas urbanas de todos os municípios do Brasil até 2010 e o investimento para ligar Manaus à Venezuela por fibra ótica já tem seu orçamento aprovado dentro da Oi/Brasil Telecom, para implantação até 2010 também (e tornar Manaus uma das melhores internets do Brasil).  Uma outra frente, a humana,é mais complicada.  Na abençoada possibilidade de o Amazonas sere selecionado sub-sede da Copa de 2014, estimamos a necessidade de recrutar 10 mil voluntários para ajudar na organização do evento.  Neste momento nos deparamos com dois desafios: inglês e voluntariado.

É importante que os voluntários falem inglês.  Há inúmeras oportunidades de se fazer cursos de inglês, privadas e estatais, mas a verdade é que ainda há poucos que persistem e completam uma formação em língua estrangeira.  Somos um pólo turístico de enorme potencial, mas um forte gargalo é o volume de pessoas treinadas para receber turistas, de cujo treinamento o inglês é central.  É apenas simbólico que precisamos de voluntários que falem inglês para a Copa.  Um diretor hoje no Distrito Industrial precisa falar inglês em meio a indústrias cada vez mais internacionais.  As novidades vindas de quaisquer campos do conhecimento humano em geral saem primeiro em inglês.  Se você fala inglês, visite hoje o Elance.com e veja as inúmeras oportunidades de ganhar dinheiro hoje prestando serviços do seu computador a pessoas da Rússia à China.  Os bons empregos de 2020 exigirão a língua.

Outro fator é o voluntariado.  É comum em outros países que trabalhadores de tempo integral ainda mantenham alguma atividade de ajuda à comunidade, talvez aos sábados ou à noite.  Há belíssimas exceções, sem dúvida; se você já o faz, peço perdão pela crítica, mas em geral temos um baixo volume de voluntários, para não mencionar os anti-voluntários (que jogam lixo nas ruas, pixam paredes, dirigem enfurecidos, etc.).  Há muitas oportunidades de voluntariado, desde igrejas a asilos e orfanatos.  

É importante lembrar que o Governo que temos é um reflexo de quem somos.  Avançamos sem dúvida nos últimos anos, mas eis aqui duas frentes que podem avançar mais.  Resta saber se você não vai receber o Beckham porque ele ficou muito velho para 2014 ou porque você ficou só no "What's your name?" das aulinhas.

Reação:

0 comentários:

Post a Comment