30 November 2008

Peugeot e a possibilidade de reflorestamento em áreas degradadas da Amazônia


Comemora-se este mês os dez anos de um empreendimento pouco conhecido no Brasil, mas de grande importância na compreensão da floresta amazônica como armazenadora de carbono e da possível regeneração da floresta após desmatamento e degradação.

O projeto Fazenda São Nicolau no Mato Grosso foi adotado pela Peugeot (empresa automobilistica) em 1998.  Com dez mil hectares completamente transformados em pastos, a Peugeot, em conjunto com o Organismo Nacional de Florestas da França, ONF, já completaram o reflorestamento de dois mil hecates com 50 espécies diferentes a custo de aproximados USD 10 milhões.  É um projeto piloto originalmente desenhado para usufruir de créditos de carbono que, àquela altura, tinha acabado de ser instituídos pelo Protocolo de Kyoto de 2007. 

Este projeto estima captura atual total de carbono de 51 mil toneladas, com valor equivalente a cerca de USD 1 milhões.  Ainda não é um produto viável, dado que custo e é maior que retorno, mas complementados com manejo florestal e alguma atividade extrativista adicional pode ser o suficiente para alcançar a sustentabilidade.

A Amazônia espera e se prepara para um futuro no qual reflorestamento é uma alternativa viável de recuperação de florestas nativas.  E viável não envolve apenas o quesito ambiental, mas principalmente o econômico, cuja ausência torna o tema ambiental fraco e passageiro.

Segue abaixo alguns links com mais informações a respeito do projeto.

Projeto da Peugeot em Mato Grosso comemora 10 anos

Peugeot And The Forest

Reação:

0 comentários:

Post a Comment