09 November 2008

As Relações Internacionais do Amazonas

O Amazonas tem nos últimos meses passado por um processo de gestação de uma política internacional própria, em busca de interesses além do cenário nacional. Identifica-se neste processo seis vertentes de trabalho:

Infra-estrutura regional: Temos interesses de integração principalmente com o Ecuador no multi-modal Manta-Manaus, pela estrada do Pacífico via Acre e Peru, com a Venezuela via BR-174 e com todos via aérea. O principal tema é transportes, com energia e comunicações também importantes. Nos transportes a transformação de Manaus em hub aéreo regional (já temos vôos para Miami, Atlanta, Panamá, Bogotá, Caracas e Guayaquil) e a saída por terra ao Pacífico são temas centrais enquanto que em comunicações a saída de fibra ótica pelo norte é prioritária.

Investimentos privados: Grande parte da atual prosperidade é dependente de empresas estrangeiras que decidiram se instalar em Manaus. Busca-se continuamente estes investimentos, desde canadenses na silvinita, a franceses no cimento, a chineses em motocicletas. Os principais meios incluem participação em feiras (como a Cosmoprof de Bologna em busca de cosméticos), convites a delegações e o bom e igualitário tratamento de empresas aqui presentes. Há grande interseção de atividades neste tema com a SUFRAMA.

Abertura de mercados: A Zona Franca tradicionalmente tem sido discriminada dentro do Mercosul como "terceiro país". Buscamos em um contexto de integração regional maior acesso a mercados e vemos o Mercosul como área prioritária de expansão. Neste tema também nos juntamos à SUFRAMA. Temos também recursos naturais (desde castanha e pau-rosa a peixes ornamentais e minérios) que podem ter maior destaque na pauta de exportação dentro de um contexto menos protecionista internacional.

Relações públicas: A Amazônia sempre teve sua imagem e discussão no exterior ditada por organizações estrangeiras, em geral ONGs como Greenpeace, Conservation International, The Nature Conservacy, WWF, etc. Ao mesmo tempo que estas organizações elevaram o tema "Amazônia" ao topo das preocupações mundiais, nem sempre o enfoque é o mais benéfico ao Amazonas, com excessiva ênfase na conservação ambiental e minúscula ênfase no desenvolvimento humano. O Amazonas deve participar do debate de idéia acerca da Amazônia; um dos principais objetivos da criação da Fundação Amazonas Sustentável (FAS) é dar voz mundial ao Amazonas neste debate. Também busca-se, para efeito de turismo, que o Amazonas seja reconhecido como ponto central da Amazônia.

Serviços ambientais: A Amazônia presta importantes serviços ambientais ao resto do mundo e por isso devemos ser remunerados. Num mundo que reconhece o drama das mudanças climáticas e que está disposto a tomar medidas para mitigá-las, a Amazônia tende a ganhar importância. Cientistas têm estudado os efeitos da floresta sobre o armazenamento de carbono enquanto surgem mecanismos de valorização da floresta de pé (Lei Estadual de Mudanças Climáticas, Bolsa Floresta, parcerias com Bradesco e Marriott e atual memorando com a Califórnia).

Interação: O Amazonas tem se tornado um dos principais destinos de turismo e investimento estrangeiro no Brasil. Ao longo de nossa história, um volume de pesquisadores estrangeiros passou na região, desde Wallace e Bates em meados do século XIX a inúmeros no INPA de hoje. Somos uma terra de imigrantes, desde ingleses e japoneses a peruanos e cearenses. O mundo sempre veio ao Amazonas; é hora do Amazonas, como sociedade, retribuir a visita. O que você tem feito para levar o Amazonas ao mundo?

É essencial para a prosperidade do Amazonas a sua inserção mais profunda na economia mundial. Abracemos o mundo em nossos termos, dentro de um Brasil não só soberano mas também enriquecido de recursos e conhecimento. Os passos necessários a esta inserção transcendem governos ou mandatos; empresas e cidadãos também têm um papel a cumprir. Encontre o seu.

Reação:

2 comments:

  1. Grande Denis!

    Parabenizo você pelos esforços e dedicação voltados para desenvolver nosso Estado (que sabemos ter um potencial gigantesco).

    Grande abraço do amigo Felipe Monteiro

    ReplyDelete
  2. Sou aluno do curso de Relacoes Internacionais em Manaus e desejo profundamente que o nosso Estado se desenvolva internacionalmente,fazendo com que realmente o Amazonas tenha papel fundamental nas politicas exteriores do Brasil.bom artigo.meus parabens

    ReplyDelete